Dicas de como começar a estudar para concurso

Antecipe-se
Não espere o edital ser publicado para começar a estudar, porque o tempo entre a publicação do edital e a prova é curto (em torno de dois meses) e muitas matérias precisam ser vistas. Além disso, muitos concorrentes já estão estudando.

Portanto, prepare-se com antecedência. Sorte é você estar pronto quando a oportunidade aparece.

Objetivo
Escolha a área de concursos que lhe interessa. É preciso ver o tipo de atividade, a faixa salarial e outros aspectos, para fazer uma escolha consciente.

Ferramentas
Procure um curso preparatório que se ajuste ao seu perfil. No curso presencial você vai se sentir mais apoiado, porque vai encontrar pessoas que vivem um projeto parecido. Já o curso pela internet ajuda a economizar tempo de deslocamento e funciona bem para quem tem horários irregulares de estudo, por conta de trabalho. Se forem de qualidade, os dois tipos de curso oferecem ótimo resultado e facilitam a compreensão das matérias. Como consequência, aceleram a sua aprovação.

Também é importante ter um bom material de consulta. Os livros específicos para concurso são mais indicados do que os de faculdade, porque abordam a matéria de forma objetiva e de acordo com o que vem sendo cobrado nos concursos. Observe se há exercícios didáticos sobre os tópicos abordados, porque são muito úteis durante o estudo.

É possível também fazer um curso presencial completo e alguns módulos de reforço pela internet ou o inverso. O mesmo se aplica aos materiais escolhidos.

Organização
Organize a sua rotina de vida para sobrar tempo para estudar, além de assistir às aulas. Um quadro de horários ajuda bastante.

Comece pelas matérias básicas da área que você escolheu e estude todas, de forma alternada, reservando tempo para cada uma a cada semana ou, se você tiver pouco tempo para estudar, a cada duas semanas.

Assim, você poderá participar de vários concursos, em vez de se preparar para somente um, e terá um patamar de conhecimento que facilitará a compreensão de outras matérias que virão depois.

Resistência
Projetos grandiosos como o de conquistar uma vaga no serviço público demoram algum tempo para serem concluídos. Dificuldades podem surgir no percurso. É natural enfrentar dúvidas nas matérias, falta de tempo, cobranças, falta de dinheiro, cansaço e medo. Todo candidato passa por isso. Mas é preciso buscar soluções ou contornar os obstáculos, e continuar estudando.

Ajustes
Se alguma reprovação acontecer, o candidato deve examinar as causas e fazer as correções necessárias na preparação ou na forma de fazer provas. E seguir. Até a aprovação.

 

Fonte: Lia Salgado, colunista do G1. 

Como criar um hábito de estudos

Hábito pode ser definido como um comportamento que determina a pessoa que aprende e repete frequentemente, sem pensar como deve executá-lo.

Quando você o executa um hábito diversas vezes, ele passa a ocorrer de maneira automática. Por que isso é importante? Porque é justamente o que você vai usar para conseguir estudar com mais eficácia.

Hábitos acontecem porque a todo o momento o nosso cérebro está procurando maneiras de poupar esforço. O cérebro tenta transformar toda ROTINA em HÁBITO. Dessa forma o cérebro se torna mais eficiente. Pense em quantas ações você realiza e nem sequer pensa nelas, como escovar os dentes, amarrar os cadarços, pentear os cabelos. Até ações mais complexas como dirigir ou executar tarefas complicadas no trabalho.

  • Bons hábitos são aqueles que tornam sua vida mais produtiva ou saudável sem prejudicá-lo, por exemplo, o hábito de estudar todos os dias ou de exercitar-se;
  • Maus Hábitos são aqueles que te prejudicam, por exemplo, o hábito de ficar 3 horas por dia nas redes sociais ou navegando a toa na internet.

 

Por que é importante desenvolver um hábito de estudos?

É o sentimento de falta que eu sinto todas as vezes que não consigo estudar ou pelo menos ler um livro, é como se faltasse alguma coisa no meu dia.

Eu já não consigo passar longos dias sem estudar, pense nisso alongo prazo. Com o tempo isso só gera mais conhecimento.  É exatamente esse hábito que me ajuda a estudar mais e mais e é por isso que você deve desenvolver seu hábito de estudo.

A maneira mais fácil que você tem para estudar todos os dias é desenvolvendo um hábito de estudos.

Nós já vimos que hábitos são maneiras do cérebro se tornar mais eficiente. Ele alivia a preocupação de ter que pensar em todas as ações para deixar a mente livre para fluir e raciocinar.

A eficiência no cérebro é sentida todas as vezes que você começa uma sessão de estudos. Sua memória fica mais afiada, seu raciocínio mais ágil. Você não fica preso horas sobre um tema de estudos, pois as informações em seu cérebro são sempre trabalhadas, facilitando muito mais seu aprendizado.

Como desenvolver o hábito de estudos?

Um hábito de estudo eficaz possui três estágios, a deixa, a rotina e a recompensa. Vou resumir para que você entenda cada um:

  1. Deixa: É algum tipo de estimulo que faz com que seu cérebro entre no automático. É a deixa também quem define qual o tipo de hábito deve ser usado.
  2. Rotina: É a ação que você executa repetidamente. Esta ação pode ser física, mental ou emocional.
  3. Recompensa: É o que ajuda seu cérebro definir se um hábito deve ser memorizado ou não.

Colocando em prática o hábito de estudar.

Vou mostrar de maneira simplificada como você deverá prosseguir nos próximos dias para construir seu hábito de estudos.

Cronograma

Horários: Seus horários deverão ser os mesmos em sua rotina, evite trocar a hora que começa seus estudos. Esses horários também podem ser flexíveis desde que você tenha uma rotina, por exemplo, pode ser que na segunda você esteja livre das 8 as 11 horas e o resto da semana você esteja livre das 17 as 20 horas, Não tem problema desde que isso se repita nos próximos 30 dias.

Materiais de estudo: Por enquanto não se preocupe com o que estudar ou em dividir matérias, apenas comece. Você está formando aqui seu hábito de estudos. Depois que você tiver começado que vem o planejamento. Mais a frente você irá aprender a fazer um plano de estudos perfeito.

Local de estudos: Se possível tente manter seu local de estudos organizado, deixe tudo sempre nas mesmas posições, lembre-se que o hábito é reforçado quando tudo permanece igual. Deixe na mesa somente o que você vai usar para estudar. No começo será apenas um livro, isso facilitará para você.

Caso não tenha um local de estudo fixo, tenha uma bolsa ou mochila especial para estudar, nela deve ter um caderno ou folhas de anotações, o livro que você estará estudando e um estojo com lápis, canetas, marcadores, etc.

1° e 2° Semana: Estude apenas uma matéria e comece devagar, leia aos poucos entendendo cada ponto, ainda não resolva questões apenas leia e faça anotações, não tenha pressa.

3° Semana: Estude 1 matéria de 2 horas e 1 matéria de 1 hora. Nessa fase você já deverá estar lendo um pouco mais, também deverá usar as técnicas de aprendizado ativo para aprender com mais eficácia.

4° Semana: Estude 1 Matéria de 2 Horas, 2 de 1 Hora e 2 de 30 minutos. A partir de agora você já estará resolvendo questões, fazendo anotações, assistindo vídeo aula e tomando notas.

Siga essa rotina por 60 dias: Ao final de 30 dias você estará estudando uma média de 4 a 5 horas por dia. A partir desse ponto você deverá executar a mesma rotina mais 30 dias, só que dessa vez você estudará 4 a 5 horas por dia durante 30 dias, repetindo a sequencia de mesmas matérias e horários.

E se eu falhar? Pode ser que em algum dia do mês você não consiga executar sua rotina, não se culpe por isso, existem dias que são difíceis por inúmeras questões, apenas não aumente os 10 minutos do dia seguinte e continue seguindo em frente, é só aumentar um dia a mais no final de sua rotina.

Mas lembre-se de que estudar é sua prioridade, então nada vem antes, a menos que seja uma emergência real, e uma noite no bar com a galera não é uma emergência. Tenha disciplina.

Com isso você terá criado seu hábito de estudo. Ao final do 60° dia seu organismo sentirá vontade de estudar no mesmo horário que você estabeleceu, conforme você leu logo acima, você terá um anseio por estudar todos os dias.

A nossa vida é regulada pelos hábitos, são poucas pessoas que a cada dia tem uma rotina diferente, por isso usar a força desses hábitos é ótimo para aumentar seu desempenho como estudante.

Se você aplicar tudo corretamente, será um estudante preparado. Não será aquele tipo de estudante que fica sempre desesperado quando sai um edital ou tem que fazer uma prova. A melhor maneira de obter sucesso em provas e concursos é estar sempre preparado.

Aplique a partir de amanhã os passos que você aprendeu aqui, não perca tempo. Não espere começar a semana ou o próximo mês. Comece logo, quanto antes você começar, mais rápido formará seu hábito de estudos.

 

Fonte : estudar e aprender

Procrastinação, o que é e como evitar ..

A procrastinação – a mania de adiar uma ação ou um tarefa, de “deixar para amanhã” – é um problema comum, que afeta especialmente estudantes e acadêmicos.

Procrastinar, a “arte” de deixar para amanhã.

O problema é que o amanhã é aquele lugar que ninguém viu ou sabe onde fica, mas que certamente boa parte dos planos, motivações e objetivos se encontram.

Isso não pode ser definido como procrastinação.

A procrastinação acontecerá se você decidir, no outro dia de tarde, adiar mais uma vez sua tarefa.

Toda procrastinação é um atraso, mas nem todo atraso pode ser definido como procrastinação.

Ato de procrastinar afeta nossa saúde e principalmente bem estar, pois não nos sentimos bem quando adiamos uma meta importante.Pessoas que têm o costume de adiar, apresentam mais dores de cabeça, de estômago e ficam doentes com mais frequência.

Além disso, procrastinar pode ocasionar aumento no nível de estresse, baixando as defesas do sistema imunológico e abrindo espaço para doenças infecciosas como resfriado ou gripe.

Geralmente cuidados como a prática de exercícios físicos, alimentação saudável e idas ao médico quando algo não está bem são frequentemente postergados, podendo ocasionar danos futuros à saúde.

Nós somos aquilo que repetidamente fazemos – Aristóteles

Primeiro, é preciso descobrir qual é a força propulsora que nos motiva a perseguir um objetivo.

Depois, é preciso monitorar atentamente seu comportamento enquanto persegue o objetivo já estabelecido.E somente depois, a força de vontade surge como parte do processo.

Não importa qual o objetivo, se é parar de fumar, não faltar na academia, parar de comer doces durante a semana ou estudar uma hora de francês todos os dias.

A melhor maneira de obter sucesso na sua empreitada, é usar a força de vontade como impulso inicial e depois garantir a consistência transformando a ação em hábito.

Se você não sabe nem por onde começar, experimente aplicar algumas das 10 dicas abaixo para detonar a procrastinação de uma vez por todas:

  1. Peça ajuda de amigos quando uma tarefa se tornar difícil demais para começar ou terminar.
  2. Não comece seu dia procrastinando. Esqueça a função soneca de uma vez por todas. Quando ao alarme tocar, levante da cama.
  3. Diminua seu grau de auto-exigência. A busca pela perfeição pode adiar o começo de sua jornada. Vá melhorando conforme avança no projeto.
  4. Remova as distrações. Ter que conviver com os “ladrões de atenção” só torna o ato de procrastinar mais provável. Se a internet é o problema, que tal desligar seu wi-fi enquanto trabalha?
  5. Faça uma coisa de cada vez. Apostar em múltiplas tarefas para ganhar tempo terá o efeito oposto. 
  6. Queime pontes, se possível. Quer começar sua empresa? Uma solução drástica pode ser pedir demissão. Você não terá escolhas.
  7. Se você quer fazer uma tarefa com frequência, como ir à academia toda segunda, quarta e sexta, coloque essa atividade no topo de sua lista.
  8. Use listas de tarefa com inteligência. Escolha no máximo 3 itens, de alta prioridade e que estejam alinhados com seu objetivo principal. Não coloque nenhum item novo enquanto não finalizar os três já estipulados.
  9. Utilize um Pomodoro Timer ou outro alarme para fazer o gerenciamento do seu tempo. O timer server para lembrar suas sessões de trabalho (de 60 a 90 min) e descansos pré-definidos (10-15 min).
  10. Comece logo! O que não significa que ao iniciar uma tarefa ela precise ficar pronta ao final do dia. Não se preocupe com isso agora.

FONTE : VIVER DE BLOG

Veja como funciona a técnica “POMODORO” e como ela pode te ajudar !

A técnica se baseia na ideia de que fluxos de trabalho divididos em blocos podem melhorar a agilidade do cérebro e estimular o foco. Sendo assim, melhora a sua produtividade.

veja como é:

  1. Faça uma lista com as tarefas que estão pendentes;
  2. Programe um cronômetro para 25 minutos;
  3. Escolha uma das tarefas e trabalhe nela sem interrupções (sem redes sociais);
  4. Quando o despertador tocar, faça uma pausa de 5 minutos;
  5.  Risque a tarefa da sua lista depois que terminá-la;
  6.  Retome o trabalho depois da pausa por mais um “pomodoro” equivalente a 25 minutos;
  7. A cada quatro “pomodoros”, faça uma pausa mais longa: 30 minutos até voltar ao trabalho;

Repita isso todos os dias que precisar estudar. Comece fazendo a lista diária  e anote quantos “pomodoros” usou, ao lado de cada tarefa da sua lista.A ideia é que, com o passar do tempo, você descubra quantos “pomodoros” usa para fazer suas atividades.

O descanso de até 5 minutos pode ser pouco, se a atividade mental tiver sido muito exigente e cansativa. Recomendamos que você descanse mais, se precisar, para não correr o risco de retomar a próxima etapa de estudos exausto. Que não lhe trará resultados positivos.

Para atividades que exijam um esforço criativo maior, como fazer uma redação, esse método pode não funcionar. A “inspiração” nem sempre aparece na hora que a gente quer, muito menos quando o tempo é limitado a 25 minutos. Estender esse prazo pode dar mais certo, uma vez que as próprias bancas dos vestibulares recomendam reservar no mínimo 1 hora para a produção do texto.

A Técnica Pomodoro é bem interessante para evitar a procrastinação e é boa para quem precisa de uma ajudinha pra se concentrar. Só que fica a dica: se for preciso, encontre a melhor maneira de adaptar a técnica a sua necessidade.

 

bons estudos,

 

#NovoImpactoTaguatinga #Dicas.

 

fonte referência, guia do estudante.

 

algumas dicas que podem te auxiliar no estudo de Legislação

Não é segredo que uma das maiores dificuldades encontradas pelos concurseiros é estudar Legislação e Regimento Interno.

Isso se dá pelo fato de que, entender bem sobre regimentos, leis orgânicas, direito administrativo, direito constitucional, pode ser simples para estudantes de direito ou advogados, mas para a grande maioria é complicado compreender e assimilar um assunto tão específico, que possui linguagem própria.

Muitos concurseiros optam por evitar estudá-los, pela complexidade. Deixando Legislação e Regimento Interno para estudar por último ou quando sobrar um tempo.

Saibam que este é um erro clássico, gostando ou não do assunto, não dá para fugir uma vez que o conteúdo está no edital. Eles são cobrados e as questões não são nada superficiais. Assim, não basta só estudar leis, é preciso estudá-las a fundo.

Veja algumas dicas:

  1. O primeiro passo é criar um cronograma de estudos eficaz e otimizado. Existem diversas metodologias para se criar um plano de estudos. O ideal é que você encontre seu próprio método.
  2. Algumas perguntas podem ajudar na hora de criar seu cronograma, são elas: Qual é o melhor horário e local para que você tenha total concentração? Quantas horas você está determinado a estudar? Qual é o número de matérias que você precisa estudar e quanto tempo resta até a data da prova? Anote suas respostas e procure adaptá-las a sua rotina. A dica para facilitar a visualização das suas metas e horários, procure criar tabelas. Elas podem ser facilmente feitas no word ou, se preferir, em uma cartolina colada na parede.
  3. Distribua todas as disciplinas do edital no cronograma, mas procure dar maior importância aquelas matérias que você possui mais dificuldade (Legislação e Regimento Interno).
  4. Na internet é possível encontrar uma grande quantidade de materiais para concursos públicos. Contudo, muitos deles estão desatualizados, o que certamente irá prejudicar sua preparação. O ideal é adquirir material de qualidade que esteja de acordo com os últimos editais publicados. Principalmente se tratando da disciplina de legislação, onde é comum haverem mudanças.
  5. Antes de começar a estudar, é importante não ter uma impressão negativa sobre o assunto. Encare o conteúdo sem medo, mesmo que pareça extenso ou complicado à primeira vista. A maior vantagem das questões cobradas sobre direito, é que elas costumam ser diretas e simples, exigem apenas que o candidato conheça a matéria com profundidade, fugindo das tradicionais pegadinhas.
  6. O principal erro dos concurseiros é ler por duas horas uma lei e, ao final da leitura perceber que de fato nada foi assimilado. Isso se dá pela complexidade da linguagem utilizada nos textos das leis. A dica é ler com atenção o conteúdo, destacando os pontos que serão mais difíceis de serem lembrados. Lembrando que a primeira medida que se deve tomar ao iniciar seus estudos de leis é imprimir o regimento (leis) e estudá-lo no original, desde o primeiro dia.
  7. Outra dica importantíssima de estudo é sempre fazer anotações sobre a compreensão do tópico. Procure usar suas próprias palavras para um entendimento maior e também para fixar maneiras diferentes de se referir a um mesmo tema.
  8. Se nada disso funcionar, busque por leis comentadas. Essa técnica é amplamente utilizada em cursos especializados para concurserios. Você pode encontrar textos e vídeo sobre leis comentadas na internet.
  9. Estudar pelas provas dos concursos anteriores é essencial para uma boa preparação. São importantes como material de consulta, tendo em vista que as empresas que elaboram os processos de seleção mantêm uma constância nos temas abordados. Então, as provas dos 3 ou 4 últimos concursos podem ajudar bastante. No entanto, elas devem ser usadas como um complemento e não como fonte primária de estudos, pois podem haver surpresas, assim como atualizações das leis.
  10.  A última dica é revisar sempre os tópicos que já foram estudados. Reveja suas anotações e revise os termos que podem cair na prova ou que você tenha maior dificuldade. Essa técnica serve para todas as disciplinas. Procure manter o ritmo até a data do concurso.

Bons estudos!

#NovoImpactoTaguatinga #Dicas

 

fonte: NovaConcursos

Como organizar a sua rotina de estudos a distância

1. Tenha metas de estudo e organize um cronograma O primeiro passo é estabelecer uma meta de estudos diária e semanal e definir dias e horários para se dedicar à tarefa.

identifique em qual período o seu estudo rende mais  e se organizar para estudar nesses horários. “A prática de estudar um pouco aqui, um pouco ali, sem muito planejamento, acaba não dando certo porque o aluno se perde e o rendimento fica prejudicado. Eventualmente, ele até pode assistir a um vídeo curto no almoço ou no transporte público, mas precisa saber que aquilo é algo esporádico.”

2.Preparar um lugar sossegado, limpo, confortável, silencioso, com boa iluminação e materiais necessários para o estudo, como uma conexão boa à internet. Esses elementos fazem toda a diferença na capacidade de concentração e aprendizado.

3)Cursos superiores exigem do aluno um compromisso maior com o cronograma de estudos, pois, normalmente, envolvem compromissos presenciais, como a realização de provas que estão vinculadas à conclusão dos estudos. Os cursos livres geralmente não exigem interação entre professor e aluno, dando maior liberdade e autonomia para o estudante, mas, por outro lado, demandam maior comprometimento do aluno.

4)Para aproveitar ao máximo o EAD, o estudante deve ir além dos conteúdos obrigatórios, buscando leituras complementares e diferentes conteúdos sobre o assunto.

Autonomia, disciplina, maturidade, interatividade, planejamento, proatividade, capacidade de adaptação, comprometimento, flexibilidade e entrega de resultados são algumas características extremamente importantes para o melhor aproveitamento do curso a distância e muito valorizadas também no mercado de trabalho.

Fonte UOL.

 

Algumas dicas para estudar pra concursos

1) Você pode criar técnicas para se animar. Eu usava uma xerox do contracheque de um amigo que já tinha sido aprovado. Quando eu começava a querer parar de estudar antes da hora, olhava o contracheque que eu queria para mim e conseguia continuar estudando mais um tempo. Conheço gente que tem a foto de um carro, de uma casa, uma nota de 100 dólares, a foto de onde quer passar as férias de seus sonhos. E tem gente com foto da esposa, do marido, dos filhos.

2) Esteja perto de pessoas com alto astral, animadas, otimistas, e de pessoas com objetivos semelhantes. Evite muito contato com pessoas que não estejam trabalhando por seus sonhos, que vivam reclamando de tudo, que não queiram nada. Escolha as pessoas com as quais você estará em contato e sintonizado.

Motivação: dor ou prazer. O ser humano age basicamente por duas motivações primárias: obtenção de prazer ou fuga da dor.  Há pessoas que estudam para evitar dor (nota baixa, reprovação, fracasso) e pessoas que estudam para obter prazer (aprender, saber, acertar, crescer, ter sucesso na prova etc.). Embora o objetivo seja o mesmo (estudar), a motivação pode ser completamente diferente. Acontece que, comprovado em 23 anos de estudo e experiência, mesmo com um objetivo idêntico (por exemplo, passar no vestibular ou concurso público), o desempenho de quem tem motivação positiva (buscar prazer) é bastante superior ao daquele que atua por motivação negativa (evitar dor).

3) Dá para, com um pouco de organização, disciplina e força de vontade, conciliar um estudo eficiente com uma vida onde haja espaço para lazer, diversão e pouco ou nenhum stress. A qualidade de vida associada às técnicas de estudo são muito mais produtivas do que a tradicional imagem da pessoa trancafiada estudando 14 horas por dia.

O sucesso no estudo e em provas (escritas, concursos, entrevistas, etc.) depende basicamente de três aspectos, em geral desprezados por quem está querendo passar numa prova ou conseguir um emprego:

  •  Clara definição dos objetivos e técnicas de planejamento e organização;
  • Técnicas para aumentar o rendimento do estudo, do cérebro e da memória;
  • Técnicas específicas sobre como fazer provas e entrevistas, abordando dicas e macetes que a experiência fornece mas que podem ser aprendidos.

O conjunto destas técnicas resulta em um aprendizado melhor e mais sucesso em provas escritas e orais (inclusive entrevistas).

Para melhorar a “briga” entre estudo e lazer , sugiro que você aprenda a administrar seu tempo. Para isto, como já disse, basta um pouco de disciplina e organização.

4)O primeiro passo é fazer o tradicional quadro horário, colocando nele todas as tarefas a serem realizadas.Também é recomendável que você separe tempo suficiente para dormir, fazer algum exercício físico e dar atenção à família ou namoro. Sem isso, o stress será uma mera questão de tempo. Por incrível que pareça, o fato é que com uma vida equilibrada o seu rendimento final no estudo aumenta.Outra dica simples é a seguinte: depois de escolher quantas horas você vai gastar com cada tarefa ou atividade, evite pensar em uma enquanto está realizando a outra. Quando o cérebro mandar “mensagens” sobre outras tarefas, é só lembrar que cada uma tem seu tempo definido. Isto aumentará a concentração no estudo, o rendimento, e o prazer e relaxamento das horas de lazer.

Aprender a separar o tempo é um excelente meio de diminuir o stress e aumentar o rendimento, em tudo.

5)Se você está acostumado a pensar numa prova apenas como aluno, aprenda a mudar esse paradigma. Você também precisa ver a prova com os olhos do examinador. Se um médico, um engenheiro, um advogado e um político virem uma ponte ruir e pessoas se ferirem, é possível que haja quatro modos de avaliar o fato: um pensará em socorro médico, outro em qual foi a falha na construção, outro em ações de indenização, e o último em mais um ponto de sua plataforma eleitoral.

Enquanto você não aprender a ver a prova não como quem quer acertar (o aluno) mas como quem quer ver se está certo (o examinador), as suas provas terão menos qualidade.

Em duplas ou grupos, passe a fazer provas e trocá-las para a correção. Corrija-as como se fosse o próprio examinador. Você aprenderá a ver a prova com outros olhos e isto facilitará seu desempenho quando reassumir o papel de aluno. Treine para fazer provas orais reparando a postura e respostas do colega como se você fosse da banca.

Falaremos mais sobre daqui uns dias, mas isso é somente para que você possa ter uma noção de como saber distinguir as atividades e ver como resolver seu tempo irá te beneficiar.

referencias tiradas do site : PCi

BONS ESTUDOS,

 

#NovoImpactoTaguatinga .

Como aprender a gostar de estudar

Você que deixa tudo pra última hora e nada dá tempo, não gosta de estudar, veja algumas dicas abaixo que pode te ajudar a resolver isso.

E que essa enrolação toda tem até um nome (bem feio, por sinal): procrastinação. A palavra, do latim, significa basicamente deixar de lado ou postergar para outro dia. “Esse problema não acomete só os estudantes; os adultos também fazem isso”, explica o professor Alberto Francisco do Nascimento, coordenador do Anglo Vestibulares. “Quando vamos viajar, por exemplo, mesmo que tenhamos comprado as passagens há meses, acabamos sempre fazendo a mala na última hora”, completa.

A procrastinação é algo tão comum entre os estudantes, que muitas universidades americanas mantêm páginas em seus sites oficiais com conselhos de como vencê-la. Depois de consultar estudos e especialistas no assunto, reunimos aqui algumas dicas para ajudar você a parar de enrolação.

DICAS:

1. Saiba o que quer. 
Quando você realmente quer algo, se sente mais motivo a lutar por isso. Se não está muito certo, fica mais difícil. É o que acontece, por exemplo, caso o seu pai queira que você se empenhe para passar em Medicina, enquanto sua preferência é pelo Jornalismo. Assim, resolva essa questão o quanto antes e descubra o que realmente quer fazer.

2. Organize-se. Mas respeite o seu tempo para a diversão também.
É preciso ter tempo para tudo, incluindo dormir o suficiente, comer e se divertir um pouco. Você não precisa (nem pode!) riscar essas coisas do seu planejamento. “O que não pode é reservar mais tempo para o lazer do que para o estudo”, diz o professor Alberto. A melhor maneira de organizar isso é ter um bom planejamento. “Se não tiver isso, a pessoa acaba passando quatro horas no Facebook e deixa só meia hora para estudar”, completa. Assim, monte um cronograma com as tarefas que precisam ser feitas, mas inclua nele um espaço para um cineminha e coisas assim.

3.Seja realista quanto ao tempo que você levará para cada tarefa
“Os procrastinadores tendem a ser “heroicos” em relação ao tempo: eles estimam que levarão duas horas para completar uma tarefa para a qual a maioria das pessoas levaria quatro”, diz a página sobre procrastinação do site da Universidade da Carolina do Norte. Antes de fazer seu planejamento, descubra quanto tempo você realmente leva para fazer as coisas ao traçar planos – mas leve sempre em consideração imprevistos e interrupções. Em uma tarde de perfeita concentração e disposição, pode ser que você leve apenas uma hora para resolver todos os exercícios de gramática que tem para aquele dia. Mas se o mais comum é que esteja sempre meio cansado quando senta para resolvê-los, precisa ser realista e considerar que precisará de mais tempo. Estabelecer alvos difíceis de cumprir só irá desanimá-lo.

4. Comece!
Para o especialista em procrastinação Timothy A. Pychyl, deixar tudo para depois pode virar mania – e, para vencê-la, é necessário estabelecer um novo hábito: começar as coisas já. Trocar o “depois eu faço” pelo “vamos resolver isso logo” é um primeiro passo fundamental para vencer a enrolação. Sem contar que, quanto mais a gente enrola, mais complicadas as tarefas parecem ser. Se você matar os exercícios de logaritmo logo depois da aula, terá grandes chances de descobrir que a matéria não é tão impossível quanto parece (até porque a explicação do professor ainda estará mais fresca em sua cabeça).

5. Livre-se das distrações
Quando for estudar, desligue a TV e o celular. Se o videogame é uma grande tentação, esconda-o até colocar suas tarefas em dia. Dependendo do seu nível de procrastinação, pode ser necessário tomar atitudes mais radicais. Se o Facebook se tornou um vício, por exemplo, instale algum programa que controle o acesso a redes sociais no seu navegador ou desinstale o aplicativo do seu smartphone. O importante é detectar o que atrapalha você e se livrar disso.

6. Encare seus estudos como uma profissão
Você está se preparando para entrar em uma faculdade com o objetivo de virar um bom profissional, certo? Isso quer dizer que, quando arrumar um emprego na área dos seus sonhos, você pretende se dedicar ao máximo e ser responsável. “Assim como acontecerá em sua vida profissional, é necessário que você, como estudante, cumpra horários, se organize, faça cronogramas de trabalho e siga os planos com seriedade”, explica o professor Alberto. Acredite: no trabalho, você não terá a opção de esperar até ter vontade de fazer as coisas. Por que não começar a adquirir para si essa responsabilidade agora mesmo?

7. Aprenda a gostar de estudar
Às vezes, precisamos nos acostumar com certos alimentos que nos fazem bem, como alguns legumes e vegetais. Com o tempo, a gente acaba até gostando. O mesmo pode acontecer com os estudos – ou com as matérias em que você tem mais dificuldade. Esforce-se para aprender a gostar delas. Quando começamos uma tarefa com pensamentos como “que droga, vou ter que estudar essa matéria horrorosa!”, a coisa já começa mal e sua mente não vai ajudar tanto quanto ajudaria em algo prazeroso – como o videogame.

FONTE ORIGINAL : Guia do estudante 

Você que é perfeccionista, cuidado isso pode atrapalhar no seu desenvolvimento de estudos.

A competitividade e a alta exigência dos processos seletivos para as carreiras públicas provocam um efeito colateral que pode ser desastroso aos concurseiros: o excesso de autocobrança. Criar um patamar exacerbado de excelência e de perfeccionismo tem levado os candidatos a um estado propício à depressão, às crises de ansiedade e de pânico, além de problemas físicos.

veja a lista abaixo e tome bastante cuidado com as atitudes :

 1- Estado constante de estresse

É muito disseminado no universo dos concursos públicos que o sacrifício a qualquer custo é item necessário para a aprovação, tal qual se estivesse descrito como ponto do conteúdo programático. A crença é reforçada na fala de professores e de especialistas, além do depoimento de outros estudantes que reforçam a máxima.

Por isso, abrir mão de atividades físicas e de lazer e se manter isolado até a aprovação se tornou regra. Longe do convívio social da família e dos amigos, o concurseiro tende a reduzir a percepção positiva de si mesmo e se fecha no desgastante trabalho de aprender os conteúdos necessários para ter uma boa nota na prova. Sem válvulas de escape e sem opções de extravasar emoções.

Em situações mais graves, o candidato tem distúrbios do sono, de alimentação, perde ou ganha muito peso em pouco tempo, mantém-se irritadiço e mal-humorado. Pacote completo para ter dificuldades de aprendizado.

2 – Aversão ao erro

Se está abrindo mão de tantas coisas importantes em sua vida, o concurseiro não se permite errar e considera que nunca é bom o suficiente. Torna-se necessário sempre estudar mais horas, acertar mais questões, assistir a mais aulas, sem levar em consideração o treinamento cognitivo para que o esforço seja transformado em realidade.

Há uma insistente apreensão de que falta algo que exige um pouco mais de energia e empenho. É preciso ser perfeito. O certo, o esperado, é fazer cada vez mais, com metas audaciosas, muito além do que se é possível cumprir, por exemplo. Diante do fracasso, o erro e a incompetência estão no candidato, não no equívoco da escolha do plano de ação.

3 – Dificuldade de pedir ou aceitar ajuda

Apesar do exagero, o concurseiro está convicto da sua escolha e entende que é o único caminho e que nada – nem ninguém – sabe melhor do que ele o que fazer. Portanto, conselhos, recomendações e ponderações não são bem-vindos. Pelo contrário, a necessidade de aceitação e aprovação aumenta ainda mais quando se abre mão do trabalho ou de outras atividades produtivas para estudar.

4 – Falta de reconhecimento dos méritos

Só há um mérito capaz de satisfazer o candidato perfeccionista: o nome na lista dos futuros empossados. Em alguns casos, o objetivo só é atingido se estiver nas primeiras colocações. Estabelecer recompensas menores e comemorar pequenas conquistas cotidianas se torna uma grande bobagem – e não um possível mecanismo incentivador durante a jornada, como é indicado.

Deixar de valorizar cada passo dado é como trabalhar um ano inteiro sem salário e sem saber quando ele virá. Um excelente impulsionador de frustração e, nesses casos, de mais cobrança pessoal.

5 – Procrastinação frequente de atividades

Paradoxalmente, o concurseiro perfeccionista adia a conclusão de tarefas por estar em busca do melhor jeito de realizá-las. Um bom exemplo é a resolução de questões, por considerar que só é possível treinar os conteúdos tal qual aparecem nas provas se já tiver estudado uma grande quantidade do edital. Quando se dão conta da escolha equivocada, podem se desesperar ao perceberem que há pouco tempo hábil para o treino.

6 – Crises ansiosas

Crises ansiosas são recorrentes entre pessoas que se cobram muito. As inseguranças e a grande expectativa depositada em cada dia da preparação provocam um acúmulo de tensão capaz de explodir nos piores momentos.

Sinais físicos de taquicardia, respiração profunda, tremores, sensação de fraqueza, náuseas, mãos e pés frios ou suados – apenas para citar alguns – durante os estudos, às vésperas ou no dia da prova demonstram que emocionalmente não há um equilíbrio.

Aos poucos os candidatos têm tomado consciência de que o caminho do aprendizado – e da aprovação – está na contramão da negação de si mesmo e das atitudes ofensivas. É um sinal positivo para todos os que participam da seleção, bem como do perfil de profissionais que estarão à frente das repartições públicas a médio prazo.

 

Fonte Original Jornal Metrópoles.

Veja algumas dicas de como administrar o seu tempo de estudo!

Para que o tempo nos estudos seja aproveitado da melhor forma, cada um deve fazer uma autoavaliação. Conhecendo suas principais dificuldades e necessidades, por exemplo, é possível se organizar para dedicar mais tempo a esses assuntos nos estudos, sem se esquecer de trabalhar também aqueles conteúdos em que se tem maior facilidade. Confira abaixo algumas dicas da Supervisora de Carreiras do Ibmec/MG, Cynara Bastos, e obtenha sucesso na sua preparação.

  1. Identifique quais as atividades que estão fazendo você perder tempo: Para fazer esta avaliação, Cynara indica algumas perguntas valiosas que cada um pode fazer a si mesmo, a fim de estabelecer prioridades “Quais são as atividades que você faz, mas que não precisa fazer? Quais são aquelas que você faz, mas poderia contar com outra pessoa para lhe ajudar? Quais são as atividades realmente importantes? Quais são as atividades que você faz com frequência, que lhe fazem perder o seu tempo? A partir daí, defina suas prioridades e estabeleça a maneira como elas serão executadas”, analisa ela.
  2. Estabeleça prioridades: “Com tantas distrações que o mundo moderno apresenta, costuma-se priorizar coisas pouco importantes e acaba-se administrando mal o tempo”, comenta Cynara. Portanto, saber quais são as suas forças e fraquezas é fundamental para que se fique atento a elas na hora de administrar melhor o seu tempo.
  3. Organize uma agenda: Quando se estabelece uma agenda semanal, por exemplo, fica mais fácil cuidar do tempo. “Você pode criar uma agenda no Excel ou, caso prefira, pode deixar a agenda num quadro/mural ou onde achar melhor. Semanalmente coloque nesta agenda tudo aquilo que precisa ser feito”, diz Cynara. Segundo ela, a agenda semanal ajuda na organização do tempo para o caso de aparecer algum imprevisto.
  4. Tenha momentos de lazer: “Lembre-se de que não há problema algum em utilizar as redes sociais, profissionais e todos os recursos disponíveis para a interação e informação, mas é muito importante que haja disciplina nesse uso, para que não se perca o tempo precioso para outras realizações”, alerta Cynara.
  5. Faça a revisão periódicas das suas prioridades: Segundo a Especialista, tão importante quanto elaborar uma agenda é refletir sobre ela. “Permita-se um tempo, pelo menos uma vez por semana, para uma revisão dos planos. Quando se estabelece aquilo que é importante e a forma como será executado, a chance de êxito é bem maior”, conclui ela.

 

FONTE: IBMEC .